Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Na Cozinha da Raiozinho

Na Cozinha da Raiozinho

Bochechas de porco na púcara (receita alentejana)

Sou fã incondicional da gastronomia alentejana. Não é à toa que sempre que lá vou uns dias de férias regresso mais redondinha. 

Há uns tempos tinha pedido à minha amiga alentejana de gema a receita das bochechas de porco. Ela gentilmente deu-me, dizendo que era a tradicional que aprendeu com a mãe e avó. A modernice era estufar as ditas na panela de pressão, mas que isso não lhe tirava o sabor tão caraterístico. 

Ora, em jeito de estágio pré férias por terras alentejanas, decidi fazer a receita da minha amiga. Mas usei a púcara de barro, em busca de um sabor mais tradicional. Ficaram muito boas.

IMG_20170715_133720.jpg

Ingredientes:

  • Bochechas de porco (penso que tinha seis)
  • 1 cebola picada
  • 2 dentes de alho picados
  • 1 folha de louro
  • sal q.b.
  • salsa picada (na verdade são coentros, mas aqui em casa há quem não seja fã de coentros)
  • 1 fio de azeite
  • 3 colheres de sopa de polpa de tomate
  • 1 copo de vinho tinto (eu usei branco porque não costumo cozinhar com vinho tinto, e por isso nunca tenho em casa)
  • meio copo de água

 

Preparação:

Nada mais simples: tudo para dentro da púcara (ou panela de pressão, ou tacho, o que tiverem, como preferirem) e deixar marinar de um dia para o outro.

Levar a estufar (em panela de pressão parece que são entre 20 a 30 minutos) em lume médio. Se, e é mesmo opcional, for da vossa preferência, ainda podem levar as bochechas ao forno para apurar, mas sinceramente não vejo necessidade (nem a minha amiga o recomendou, indicando que a carne ficaria um pouco mais seca). 

IMG_20170715_133841.jpg

 E servi este belo pecado com um arroz com courgette ralada à mistura (assim para parecer mais saudável). 

Lombo de porco recheado no forno

 

Ingredientes:

  • 1 lombo de porco recheado com alheira, bacon e pimento (comprei no talho já pronto, com cerca de 2 kg)
  • sal
  • pimentão doce
  • alho em pó
  • flocos de piripíri
  • alecrim
  • raspa e sumo de uma laranja
  • 1 fio de azeite

 

Preparação:

Numa tábua de cozinha, ou numa folha de papel vegetal, misturar e espalhar os temperos: sal, pimentão doce, alho em pó, flocos de piripíri, alecrim e raspa de laranja. Passar o rolo de carne por cima até que os temperos adiram.

Tranferir o rolo para um tabuleiro de ir ao forno, previamente untado com um fio de azeite. Regar o lombo com o sumo da laranja.

Cobrir com papel de alumínio e levar ao forno a 200º durante 50 minutos. Terminado o tempo, retirar o papel de alumínio, baixar a temperatura do forno e levar a dourar durante cerca de 20 minutos.

Acompanhei com uma salada verde. 

 

Frango assado com batata doce e pimento

IMG_20170511_211906.jpg

Ingredientes:

  • 1 batata doce grande (ou 2 ou 3 mais pequenas)
  • 1/2 frango (eu usei 4 pernas inteiras)
  •  1 colher de sopa de massa de pimentão
  • 1/2 pimento vermelho
  • 3 dentes de alho
  • sal e pimenta q.b.

 

Preparação:

Numa assadeira colocar o frango partido em pedaços. Acrescentar a batata doce descascada e partida em palitos grossos. Juntar o pimento cortado em tiras.

Temperar com sal e pimenta, espalhar a massa de pimentão por cima, esmagar os dentes de alho e distribuir pela assadeira.

Tapar com papel de alumínio e levar ao forno previamente aquecido a 180º durante cerca de 1h. Retirar o papel de alumínio e deixar dourar durante 30 minutos.

Servir com uma salada verde.

 

 

Atualização

Shame on me... já fui de férias, ja voltei de férias, e disponibilidade para dedicar a este cantinho zero. Confesso que se a maior parte das vezes é falta de tempo, também há uma parte de falta de vontade, de ter mais que fazer, de não me apetecer. E os rascunhos foram acumulando em posts semi preparados para verem, um dia, a luz do dia.

Ora acontece que receitas que me saem na hora, ou que "invento", se não aponto logo, passado umas semanas já mal me lembro de como fiz ou exatamente que ingredientes usei. Acabo por eliminar os respetivos rascunhos.

Salvam-se aquelas receitas que vou guardando deste e daquele blog para experimentar. É provável que tenha feito as minhas alterações, faço quase sempre, mas como já se passou algum (tanto) tempo desde que fiz as receitas, deixo aqui em jeito de partilha as fotos dos meus resultados e o link da receita que me inspirou.

Gostaria de prometer mais assiduidade no futuro. Não gosto de prometer sabendo que a probabilidade de falhar é enorme. Ponderei encerrar o blog. Mas custa-me um bocadinho, até porque este blog começou por ser uma forma de eu compilar as receitas que ia fazendo, as ideias que ia tendo, e poder partilhar com outras pessoas e trocar ideias e dicas tornou a experiência enriquecedora. Sem falar que também é um desafio para experimentar novas receitas, novos sabores, novas combinações e temperos.

Por ora não encerro o blog. Mas publicarei quando puder e se tiver novidades dignas de registo. É que nos últimos tempos a disponibilidade e vontade para me dedicar à cozinha também não têm sido muitas, pelo que me vou ficando pelos básicos grelhados com saladas, pratos já conhecidos e repetidos, e pouco mais.

Sem pressões e este espaço manter-se-á em atividade, por pouca que seja. 

Agora fica a partilha de três receitas que experimentei nos últimos meses. 

  Empadão de bacalhau com batata doce e espinafres

 

Frango assado com maçãs

 

IMG_20170522_204147.jpg

Tiras de frango com tomate e mozzarela no forno

 

Courgettes recheadas com atum

 

 

 

Ingredientes:

  • 3 courgettes pequenas/médias
  • 3 latas de atum ao natural
  • 1/2 pimento vermelho
  • 1 tomate grande (usei coração de boi, bem carnudo)
  • 1 cebola
  • 3 dentes de alho
  • 1 malagueta
  • moinho 5 pimentas
  • sal
  • azeite
  • orégãos
  • 200 gr. de queijo mozzarella ralado

 

Preparação:

Lavar as courgettes. Cortar ao meio,no sentido horizontal. Com a ajuda de uma colher, remover a polpa das courgettes. Temperar com moinho 5 pimentas, sal e um fio e azeite. Levar ao forno a 180º durante 20 minutos.

Entretanto, preparar o recheio.

Picar grosseiramente a polpa das courgettes. Reservar. Picar meio pimento vermelho. Reservar. Cortar em cubos o tomate. Reservar. Escorrer o atum. 

Alourar num fio de azeite a cebola, os dentes de alho e a malagueta bem picados. Quando a cebola estiver dourada, juntar o tomate e o pimento e deixar cozinhar alguns minutos, até o tomate começar a desfazer. Acrescentar a polpa das courgettes, envolver bem e deixar cozinhar cerca de 10 minutos. Juntar o atum escorrido, envolver, temperar com sal, polvilhar a gosto com orégãos, e deixar apurar.

É normal que fique um pouco líquido, mas antes de rechear as courgettes, o ideal é escorrer o preparado para lhe retirar o excesso de água.

Retirar as courgettes do forno, rechear com o preparado de atum, cobrir generosamente com queijo mozzarella ralado e, por fim, levar a gratinar ao forno.

 

Almôndegas de peixe com batata doce e alho francês

IMG_20170513_204845.jpg

 

Lembro-me que fiz esta receita da Joana Roque pouco depois de ter visto a sua publicação. É uma ótima sugestão para aproveitamento de sobras de peixe, mas também é uma excelente sugestão para um jantar ligeiro, para fazer a mais e reservar para as marmitas, para levar para um piquenique, que estamos em época de atividades ao ar livre para desfrutar deste sol magnífico. 

Eu quando fiz a receita foi mesmo a pensar que seria simples, prática, diferente, ligeirinha, deliciosa, blá blá blá, ideal para um jantar despretencioso e a salvar as marmitas dos almoços para o dia seguinte.

 

Ingredientes:

  • 3 a 4 batatas doces não muito grandes
  •  
    400 gr de filetes de pescada (ou aproveitar sobras de peixe cozido ou assado)
  • 1 alho francês pequeno
  • 1 cebola picada
  • azeite q.b.
  • sal e pimenta q.b.

 

Preparação:

Cozer o peixe em água temperada com sal e um fio de azeite. Quando cozido, retirar, lascar, reservar.

Na mesma água de cozer o peixe, cozer a batata doce. Quando cozida, escorrer bem e, com um utensílio próprio, esmagar as batatas grosseiramente. Juntar o peixe lascado e misturar bem.

Enquanto o preparado anterior arrefece, aquecer uma frigideira com um fio de azeite. Alourar a cebola picada, quando começar a dourar, juntar o alho francês bem picadinho. Saltear o alho francês durante alguns minutos.

Juntar o alho francês ao preparado da batata com o peixe, retificar temperos de sal e pimenta. Envolver bem e deixar acabar de arrefecer. 

Moldar bolinhas, colocá-las num tabuleiro forrado com papel vegetal e levar ao forno, previamente aquecido a 180º, entre 20 a 30 minutos, até estarem douradas.

Acompanhei com uma salada verde. No almoço do dia seguinte, uma salada de tomate e pepino foi o acompanhamento perfeito.

 

 

Salada de cotovelos com filetes de cavala

IMG_20170318_134537.jpg

O tempo escapa-se pelos ponteiros do relógio. Não consigo chegar a tudo o que gostaria e, por isso, este espaço tem estado negligenciado. Todavia, não esquecido. E para esta fugaz marcação de presença, deixo aqui uma salada de massa que tem tanto de colorida como de saborosa. Ótima para estes dias de calor, para os almoços de marmita, até para levar para a praia na lancheira. 

 

Ingredientes:

  • 250g de massa cotovelo (ou outra massa curta)
  • 2 latas de filetes de cavalas em azeite
  • 2 tomates médios
  • 1 chávena de ervilhas
  • 1 cebola roxa pequena
  • Azeite
  • Sal
  • Açafrão ( 1 colher de café)
  • Salsa picada
 
Preparação:
Começar por cozer a massa em água temperada com sal, azeite e açafrão. Quando a massa estiver al dente, juntar as ervilhas e deixar levantar fervura. Escorrer muito bem e deixar arrefecer por completo.
Depois de frio juntar os tomates partidos em cubos, a cebola picada e os filetes de cavalas em lascas, depois de bem escorridos.
Polvilhar com salsa picada e regar com um fio generoso de azeite. Envolver bem e servir.

 

IMG_20170318_142340.jpg

Como a imaginação é o limite, podem trocar os filetes de cavala por atum e/ou ovos cozidos, acrescentar azeitonas, pimento em cubos, milho cozido, cenouras, as combinações são inúmeras, ao gosto de cada um. 

 

Uma colorida salada de couscous (ou como aproveitar sobras de frango)

IMG_20170612_202912.jpg

Ingredientes:

  • sobras de frango de churrasco
  •  1 chávena de couscous
  • 1 chávena de água quente
  • 1 colher de café de açafrão
  • 1 tomate
  • 1 pepino
  • 1 cebola roxa
  • salsa picada a gosto
  • sal
  • sumo de meio limão
  • azeite

 

Preparação:

O que mais demora nesta salada é a preparação dos alimentos. Tirando isso, é misturar ingrediente por ingrediente numa saladeira, envolver delicadamente e a magia acontece.

Começar por desossar e desfiar os pedaços de frango de churrasco. Picar a cebola roxa, cortar o tomate em cubos, bem como o pepino. Picar a salsa. 

Numa saladeira colocar os couscous, polvilhar com açafrão, e cobrir com água quente. Aguardar cinco minutos.

Soltar os couscous com a ajuda de um garfo, juntar o frango desfiado, o tomate, o pepino, a cebola e a salsa. Temperar com umas pedras de sal, sumo de meio limão e azeite a gosto. Envolver tudo delicadamente. Servir e desfrutar. 

 

 

Arroz de marisco

IMG_20170514_140553.jpg

Não terá segredos, nem inovações dignas de um masterchef. Foi um arroz de marisco caseiro, que serviu de almoço para um domingo de sol preguiçoso, que arrasta consigo um cheirinho a verão antecipado. E soube maravilhosamente bem...

 

Ingredientes:

  • 1 embalagem de preparado de marisco
  • 2 chávenas de arroz
  • 1 cebola
  • 2 dentes de alho
  • 1 lata de tomate
  • 1 malagueta piripíri
  • 1 folha de louro
  • 1/2 pimento vermelho
  • sal
  • azeite
  • 200 ml de vinho branco
  • salsa picada a gosto
  • sumo de limão

 

 IMG_20170514_140900.jpgPreparação:

Num tacho largo cobrir o fundo com azeite. Juntar a cebola picada, os dentes de alho picados, a malagueta picada e deixar refogar tudo até a cebola estar dourada. Acrescentar o tomate pelado, bem picado, juntamente com a polpa da lata, o pimento vermelho cortado em cubos, e a folha de louro. Deixar levantar fervura. Juntar o preparado de marisco (previamente lavado e escorrido), envolver delicadamente. Refrescar com o vinho branco e deixar cozinhar em lume brando até começar a ferver. Adicionar o arroz, a água (previamente aquecida), ou caldo de marisco, se preferirem. Deixar cozinhar o arroz em lume médio, mexendo delicadamente de vez em quando, acrescentar água quente, caso comece a ficar seco e o arroz ainda não tenha cozido totalmente. Quando o arroz estiver aberto e cozido, regar com sumo de um limão, polvilhar generosamente com salsa picada e degustar com um sorriso guloso.

Arroz de salsichas com couve lombarda

IMG_20170506_210215.jpg

Adoro este estufado de salsichas frescas com couve lombarda. Como tinha uma couve lombarda no frigorífico a precisar de ser consumida, pensei neste estufado, mas ao mesmo tempo lembrei-me de lhe dar um twist que alterasse um pouco o prato, mas sem perder o maravilhoso sabor que o carateriza. Solução? Um arroz de salsichas frescas com couve lombarda. Aquele arroz de tudo para dentro do tacho, de maneira a ficar bem malandrinho. Confort food no seu melhor sabor!

 

Ingredientes:

  • 10 mini salsichas frescas 
  • 200 gr de bacon aos cubos
  • 1 couve lombarda pequena
  • 2 chávenas de arroz
  • uma lata de tomate
  • 200 ml de vinho branco
  • 1 cebola 
  • 2 dentes de alho
  • 1 malagueta piripíri
  • 1 folha de louro
  • sal
  • um fio de azeite

 

Preparação:

Num tacho largo saltear os cubos de bacon num fio de azeite. Quando o bacon começar a dourar, juntar a cebola e os dentes de alho picados, a malagueta também picada e uma folha de louro. Envolver bem e deixar a cebola refogar um pouco, até começar a dourar. Juntar as salsichas frescas, a lata de tomate e o vinho branco. Abanar o tacho para espalhar os ingredientes, tapar e deixar cozinhar em lume brando alguns minutos, até ferver. Acrescentar o arroz, o dobro da quantidade de arroz de água já quente, temperar com umas pedras de sal e deixar levantar fervura. Adicionar, nesse momento, a couve lombarda cortada grosseiramente em juliana, envolver delicadamente, e deixar cozinhar em lume médio até o arroz estar cozido.

 

Nota: Se gostam deste tipo de arroz bem malandrinho, convém ter ao lado água já quente para ir adicionando, caso vejam que está a secar e ainda falta tempo de cozedura para o arroz.