Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Na Cozinha da Raiozinho

Na Cozinha da Raiozinho

Arroz de Tamboril

Há já algum tempo que o macho lá de casa suspirava por arroz de tamboril. Esta semana, aproveitámos o feriado a meio da semana (dia 12 de Maio é feriado em Aveiro) e fomos até uma cidade aqui mesmo ao lado, a um armazém que vende peixe congelado a preço da chuva. Para terem uma ideia, fizemos um stock jeitoso de peixe, entre abrótea, salmão, maruca, perca, red fish e tamboril (média de 4 kg cada) por cerca de 35€. Isto é que são preços de aproveitar. Quem nos deu a conhecer este armazém foi a sogrinha, que já nos tinha comprado lá peixe, mas eu com aqueles fantásticos horários de trabalho que tinha, nunca tive hipótese de lá ir.

 

Adiante... escusado será dizer que lá matei o desejo ao rapaz e fiz arroz de tamboril.

 

Ingredientes usados:

 

- 1 peixe tamboril

 

- 200 gr de miolo de camarão congelado

 

- 3 delícias do mar de lagosta (que andavam no congelador)

 

-  1/2 pimento vermelho

 

- 1/2 pimento verde

 

- arroz

 

- polpa de tomate

 

- cebola

 

- 3 dentes de alho

 

- 1 malagueta

 

- 1 colher de sopa de marisco

 

- azeite

 

- sal

 

 

 

Comecei por cozer o tamboril em água temperada com sal. Depois de cozido, reservei a água e deixei o peixe arrefecer. Entretanto, num tacho coloquei a cebola, a malagueta e os dentes de alho picados, um fio de azeite e levei a alourar. Quando a cebola ficou translúcida, adicionei o miolo de camarão e deixei saltear. Acrescentei os pimentos em cubos, a polpa de tomate, mexi e deixei levantar fervura. Acrescentei o arroz, deitei a água de cozer o peixe (um pouco mais que a medida recomendada, porque este arroz quer-se bem aguado), a colher de sopa de marisco (é opcional, mas dá um gostinho extra ao arroz), mexi e tapei o tacho. Quando o arroz começou a abrir, juntei as delícias de lagosta às rodelas e o tamboril já arranjado e lascado. Deixa-se acabar de cozer o arroz... e no fim polvilha-se com coentros ou salsa picada. Eu não tinha nem um nem outro, não polvilhei.

 

E ficou assim: 

 

 

 

 

{#emotions_dlg.drool}

 

De babar, comer e repetir...

Bacalhau Assado

Não sou muito fã de bacalhau. Normalmente prefiro os pratos de bacalhau desfiado do que à posta. Mas esta semana fiz para o jantar um bacalhau assado que não dá muito trabalho e fica muito bom.


Para começar, coloquei as postas de bacalhau num recipiente com dois ovos batidos e com leite. Deixar cerca de meia hora para o bacalhau absorver um pouco o leite com os ovos. Entretanto, cobrir o fundo de um tabuleiro com alhos esmagados, colocar as postas de bacalhau no centro, rodear com batatas, polvilhar com pimenta preta, regar com bastante azeite, e no fim, cobrir as postas de bacalhau com pão ralado (eu usei um pão ralado que já tem mistura de ervas) e polvilhar também as batatas com pão ralado. Levar ao forno a assar a 220º, durante mais ou menos 1h, 1h30.



 


O resultado final é esta maravilha douradinha!


Para acompanhar fiz uns legumes salteados: aqueci um pouco de azeite com alho picado e meio cubo de caldo de legumes, adicionei courgette cortada em cubos e cenoura em palitos, envolvi. Depois adicionei couve cortada em juliana fininha. Deixei a couve amolecer, e por fim misturei cebola em meias luas e tomate em cubos. Envolvi tudo, aguardei dois minutos e retirei do fogo.



 


Uma explosão de cor e sabor... só me falta enfiar ali o dedo e lambuzar-me toda ao estilo da Nigella!!


E cá fica mais uma sugestão para um jantarinho saboroso e agradável!!


 

Aproveitar restos de carnes

Por vezes há restos de carnes, sejam grelhadas, assadas, estufadas. Normalmente "reciclo" e crio um novo prato. Com as carnes grelhadas, o mais fácil é usar a estratégia do molho à base de tomate, pois como a carne não tem molho, acaba por ser o mais prático e que se adapta a uma série de alternativas, como por exemplo massas, empadão, arroz.


Esta semana tinha aí umas sobras de costeletas grelhadas na brasa. Então, tirei os ossos, cortei em pedaços para levar à picadora, e passei a carne na 1,2,3. Pode-se, em alternativa, cortar em bocadinhos pequeninos. Depois o molho: fazer um ligeiro refogado com alho, cebola e azeite, adicionar a carne e envolver, misturar dois pacotes de polpa de tomate e um copo de vinho branco. Misturar tudo, abafar e deixar ferver em lume brando. O resultado é este:



 


No fim pode-se aromatizar com ervas, como salsa, orégãos, mangericão. Acompanha muito bem massa (esparguete, macarrão, fusilli, tagliatelle), pode ser usado como recheio de um empadão, quer de puré de batata, quer de arroz, pode ser congelado para futuras refeições. Enfim, é uma excelente forma de aproveitar restos de carnes e recriar pratos.


Bom apetite!!

Entremeada à Bairrada

Para o jantar de Sábado eu tinha pensado grelhar umas fatias de entremeada e comer com batata frita. Sim, um daqueles jantares calóricos mas que sabem pela vida.


No entanto, sempre que como entremeada é assim, grelhada só com sal. E aqui a Raiozinho gosta de experimentar novos sabores. Vai daí, pus-me a pesquisar na net receitas de entremeada até que bati com os olhos nesta, e comecei logo a salivar, qual cão de Pavlov.


Não há muitas alterações a fazer. Na receita que vi, a entremeada era uma peça inteira assada em tabuleiro no forno. Ora, eu como tinha entremeada fatiada, fiz a pasta com os alhos esmagados, a banha de porco, folhas de louro picadinhas, pimenta preta e sal, barrei as fatias com ela, e levei ao grelhador no forno, com um tabuleiro por baixo para apanhar o molho que se ia formando, molho esse que pode ser aproveitado para fazer arroz e fica divinal. No Sábado, não fiz o arroz, mantive as batatas fritas e acompanhou uma salada de alface, tomate e cebola.


Não há foto... mas há a garantia que soube tão, mas tão bem!! Nham Nham...


 

Inspirei-me na Nigella!!

Pois, ontem enquanto degustava a minha sopa de peixe quentinha, via o programa da Nigella Bites na Sic Mulher. Não vou dizer que sou uma fã incondicional dela, prefiro o Jamie Oliver, mas que a Nigella tem excelentes ideias e dicas, lá isso tem.


Ontem o programa era sobre limões... pelo menos fartou-se de fazer receitas com limão. Chamou-me a atenção um frango assado que ela fez, do mais simples que se possa imaginar. Vai daí, aqui a Raiozinho já tinha meio frango a descongelar, e pronto, saiu-me uma receita by Nigella, mas com o toque pessoal da Raiozinho, tinha de ser.


A receita é simples simples simples... frango cortado em bocados pequenos. Pedaços de frango dentro de um tabuleiro de ir ao forno. Misturar com os pedaços de frango dois limões cortados em quatro, uns quatro ou cinco desntes de alho inteiros e por descascar. Temperar com sal, eu acrescentei uma malagueta picada por cima, à falta da era aromática que a Nigella usou (tomilho fresco, acho eu), foi mesmo orégãos (muito parecido... cof cof) e acrescentei ainda umas nozes pequenas de margarina Vaqueiro por cima do frango. Vai ao forno, e em cerca de 1h esttá assado e com um cheirinho e aspecto maravilhosos.


 



 


Ora cá está o meu franguinho. Uma delícia. Servi acompanhado de arroz de alho e salada de alface.

Sopinha de Peixe

Ontem, sozinha em casa à noite, sem grande vontade de me meter na cozinha, sem grande inspiração, lá me ocorreu fazer a minha sopinha de peixe, que tanto aprecio e me sabe bem.


Esta é uma das receitas que gosto pela versatilidade. Uma boa parte dos ingredientes são opcionais, faz-se com o que se tem no frigorífico.


 


Ingredientes usados:


- 3 postas de pescada


- 2 filetes de peixe gato riscado (muito suculento este peixe)


- 3 dentes de alho


- 1 cebola


- 1 malagueta


- courgette


- 1 cabeça de nabo


- cenoura


- 1/2 pimento verde


- 1/2 pimento vermelho


- alho francês


- batata


- 1 pacote de polpa de tomate


- azeite qb


- sal


- salsa para decorar


 


Começo por cozer o peixe em água temperada com sal. Enquanto o peixe coze, preparam-se os legumes. Regra geral este tipo de legumes (alho francês, nabo, pimento, courgette) costumo comprá-los frescos, arranjo-os, lavo-os, corto-os e coloco em saquetas no congelador. Quando são precisos estão logo ali à mão prontos a utilizar. As cenouras e courgettes guardo na gaveta do frigorífico, mas quando começam a ficar moles, também costumo arranjá-las e congelá-las, utilizando para as bases das sopas.


Mas voltando à sopa... numa panela colocar os dentes de alho cortados, a cenoura cortada, a malagueta (para quem gostar do sabor picante) cortada, regar com azeite. Levar a refogar ligeiramente, e quando o azeite começar a estalar, juntar os restantes legumes e um pacote de polpa de tomate. Entretanto, o peixe já cozeu, aproveita-se a água da sua cozedura para colocar na panela com os legumes, tapar e deixar cozer em lume médio. Retirar peles e espinhas ao peixe, lascá-lo miudinho. Quando os legumes estiverem cozidos, passar a sopa com a varinha mágica até obter um creme homogéneo e aveludado... se necessário adicionar água para não ficar tão espesso. Levar o creme a lume brando, ontem por opção juntei cenoura ralada (nunca o tinha feito e gostei do resultado), adicionar o peixe, ou quem quiser também pode acrescentar miolo de camarão congelado, deixar levantar fervura, mexendo regularmente. Por fim, polvilhar com salsa picada (coentros também é óptimo, mas aqui em casa não somos muito apreciadores, principalmente o J*) e está uma maravilhosa sopa de peixe feita. Serve de prato principal, pois é muito nutritiva e completa. Mesmo que não se coma a sopa toda na altura, não faz mal. Esta é uma óptima solução para ter congelada em doses individuais no congelador para nos socorrermos em alturas que não há tempo para cozinhar.


Aqui fica uma foto da dita sopa...



 


E agora uma última sugestão: esta sopa é óptima para molhar o pão... e então aquele com azeitonas... huuuuummmmm...


 

Mousse de Limão

E hoje é dia de sobremesa bem fresca para chamarmos o Verão!


Mousse de limão.


Simples, barata e rápida. Tudo como se quer.


 



(A imagem é retirada da internet e por isso meramente ilustrativa, embora o aspecto seja mesmo esse)


 


 


 


Vamos precisar do sumo e raspa de 2 limões médios, um pacotinho de natas e uma latinha de leite condensado.


Começamos por bater as natas até ficarem duras e em 'castelo'. Juntamos depois o leite condensado, e por fim o sumo dos limões, sempre sem parar de bater.


Ao juntar o sumo, verificamos que a mousse ganha logo consistência. Podem juntar mais ou menos sumo de limão, conforme gostarem do sabor. Colocam em tacinhas individuais e decoram com as raspas.


Levam ao frigorifico até ficar tudo bem fresquinho.


 


*Se quiserem reduzir a gordura e o açucar da receita, podem usar as natas e o leite condensado em versão magra. Lá em casa é sempre essa a nossa opção


 


 

Pág. 2/2