Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Na Cozinha da Raiozinho

Na Cozinha da Raiozinho

Salmão em cama de legumes

Ora, jantarinho de Sábado foi salmão. Para fugir ao habitual salmão grelhado, pensei em estufá-lo, e na onda de aproveitar todos os legumes que estavam a entrar em fase mórbida, lembrei-me de o estufar com legumes.


Comecei por arranjar alho francês (2 talos) às rodelas, duas cenouras raladas, uma cebola grande cortada em meias-luas, meio pimento vermelho em tiras. Levei a frigideira ao lume a aquecer o azeite com dois dentes de alho e uma malagueta bem picadinhos. Dourei as postas de salmão e retirei. Adicionei o alho francês, a cenoura, o pimento, a cebola. Envolvi os legumes, coloquei as postas de salmão por cima e temperei com um cubo de caldo de peixe e sumo de limão. Abafei e deixei cozinhar cerca de 15 a 20 minutos em lume brando (no mínimo mesmo).


Ficou uma delícia!! Foi tão simples e rápido e realmente ficou muito saboroso.


 

Creme de courgette com ervilhas

Este Sábado foi dia de experimentar novas receitas, ou melhor, de experimentar novas combinações, que aqui a menina anda numa de nem olhar para receitas nem tão pouco. É mais, deixa cá ver o que tenho e o que vou fazer...


Para o almoço preparei uma sopa, uma boa panela de sopa que vou aquecendo durante a semana para os meus almoços rápidos em casa. Tinha poucos legumes no frigorífico... alguns já a entrar naquela fase de "ou comes-me ou vou parar ao lixo". Vai daí arranjei todos os legumes, uns para a sopa e outros a pensar já no jantar.


Para a sopa: 3 courgettes, 3 ou 4 cenouras (pequenas), 2 cabeças de nabo (pequenas), (não era para pôr mas pus para aproveitar) umas rodelas de batata cozida que sobraram de um jantar da semana. Levei a panela ao lume com um fio de azeite, 2 dentes de alho e uma cebola média picada grosseiramente. Quando a cebola começou a estalar juntei os legumes. Envolvi, deixei tomarem o gosto do azeite e juntei água já quente. Deixei cozer. Passei com a varinha mágica de modo a ficar bem cremoso. Temperei com sal, levei novamente a lume e acrescentei cenoura ralada e uma chávena e meia de ervilhas. Deixei ferver e... nhami nhami... soube mesmo mesmo mesmo bem.
Sorry!! Não há foto!!


 

Bifes

Não sei o nome a dar a esta receita. Foi uma ''invenção'' que surgiu da necessidade de cozinhar uns bifes de vaca de forma rápida, saudável e simples... Uma forma agradável de substituir o tradicional bife grelhado (ou frito).


 


Numa panelinha de barro coloquei um fio de azeite e depois a carne. Polvilhei com sal, um pouco de gindungo e alho picado. Tapei e deixei cozinhar. A carne larga água, pelo que acaba por cozinhar no seu próprio suco, já que a quantidade de azeite que juntei foi minima.


 


E esta era a receita de bifes que inspirou aqui a colega Raiozinho e que ela desafiou a escrever aqui no post abaixo.


 


Easy ah?

Jantarinho bom :)

Constantemente eu e a amiga e companheira aqui da cozinha trocamos ideias. Esta semana falou-me de um jantar que tinha feito com bifes de porco e resolvi "imitar". Não fiz exactamente como a Ângela (era bom a menina vir aqui publicar, sim?!), mas a ideia dela serviu-me de ponto de partida.


Usei novamente a púcara de barro. Coloquei os bifes na púcara, por cima alho laminado, um cubo de caldo de carne esmagado, duas cebolas em meias-luas, uma malagueta picada, duas colheres de café de ervas finas, algumas nozes de vaqueiro e um fio de azeite. Tapei a púcara e levei a lume brando cerca de 30 minutos. Para dar um toque final, reguei a carne com duas colheres de sopa de molho de soja e voltei a tapar por mais 10 minutos. Huuuummmmm, que cheirinho.


Em relação ao acompanhamento, estava numa de fazer batatas cozidas e bróculos... mas de repente, plim... fez-se luz!! Arranjei uma embalagem de cogumelos portobello (cortei-os em 4), cortei os bróculos (daqueles pequeninos com folha) tipo julinana. Numa frigideira levei a derreter um naco de Vaqueiro com dois dentes de alho picados e um fio de azeite. Juntei os cogumelos, deixei saltear, temperei com umas pedras de sal, acrescentei os bróculos, envolvi tudo e deixei cozinhar em lume brando. Como os cogumelos largam alguma água, tapei a frigideira com um testo para reduzir a água dos legumes. Pouco antes de os retirar, deitei mais um fio de azeite e umas gotas de vinagre.


Et voilá



 


Estava uma delícia!!! E o que sobrou... sim, foi o J* que levou para o trabalho. {#emotions_dlg.tongue}


 

Arroz de Frango

 

 

 

Ainda a fumegar!

 

Decidi fazer um arroz de frango pois é um prato simples, saboroso e já não o comia há imenso tempo.

 

Optei por cozinhar na púcara de barro. Adoro! A comida fica com um gostinho tão bom.

 

Usei apenas meio frango cortado em bocadinhos pequenos.

 

Na púcara coloquei uma cebola picada grosseiramente, 3 dentes de alho picados, um fio de azeite e um pequeno naco de Vaqueiro. Levei a lume brando e deixei a cebola amolecer. Juntei uma malagueta picada, uma folha de louro, um cubo de caldo de galinha e duas colheres de café de pimentão doce. Envolvi e misturei os pedaços de frango. Deixei alourar, acrescentei meio pimento verde em cubos e uma cerveja de 33 cl. Polvilhei com uma colher de café de ervas finas, tapei e deixei estufar em lume brando entre 20 a 30 minutos. Juntei o arroz, reguei com água quente, tapei e deixei cozer. Ainda o arroz estava durinho, apaguei a chama e deixei abafado na púcara uns 10 minutos.

 

Uma delícia! Não andasse eu a conter-me nas quantidades de comida a ingerir, que nestes últimos tempos foi a anarquia e as ancas não perdoam (nem as calças) e tinha repetido e repetido e repetido... O bocadinho que sobrou, J* levou para comer no trabalho.

 

 

Salsichas frescas de peru enroladas em couve lombarda

Pois.. um dos objectivos que tenho para 2011 é cozinhar mais e melhor. Daí aparecerem mais receitas por estas bandas...
Mentira. É mas é a necessidade de poupar mais e reduzir as idas a jantar fora, o que basicamente até quer dizer a mesma coisa né?!


 


Tinha umas salsichas de perú para cozinhar lá em casa que andavam já há uns tempos no congelador à espera que eu tivesse uma ideia qualquer para as cozinhar. A isso juntei uma couve lombarda que precisava igualmente de ser consumida. Até porque sendo apenas duas pessoas lá em casa (eu e a minha belle sister), os frescos se não forem consumidos rapidamente, acabam por ter como destino o lixo. E como eu detesto atirar comida para o lixo pá...


 


Assim, tirei as salsichas para fora para descongelarem e separei algumas folhas inteiras da couve lombarda. A restante couve, cortei ao meio e parti uma das metades em juliana e congelei, para sopas. Guardei a restante no frigorifico para posteriormente cozer com mais legumes ou assim...


 


Bem, passemos então à receita propriamente dita:

Colocar uma panela com água no lume e deixar ferver. Escaldar durante 2 a 3 minutos as folhas inteiras da couve lombarda. Escorrer e embrulhar as salsichas nas folhinhas formando pequenas trouxas e prender com palitos.
Num tacho, colocar 1 alho com meia cebola picadinha e refogar num fio de azeite. Juntar ao refogado, assim que a cebola começar a ficar transparente, uma folha de louro, bacon cortado ás tirinhas (usei um pouco de paio caseiro que tinha lá em casa), e um tomate bem maduro triturado e um caldo de carne. Deixar refogar mais um pouco esta mistura e depois colocar lá dentro as trouxinhas de couve e regar com vinho branco. Deixar cozinhar, rectificar temperos e servir. Para acompanhamento, escolhi um arroz branco, simples.

Pág. 2/2