Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Na Cozinha da Raiozinho

Na Cozinha da Raiozinho

Embrulho de salmão e espinafres

Lá regressa mais um embrulho, que desta vez fiz com massa quebrada para experimentar, já que tenho tido sempre a opção da massa folhada. Gosto de ambas, gosto dos resultados finais de ambas, embora a massa quebrada seja menos calórica e fique mais facilmente crocante e estaladiça, enquanto que a massa folhada é muito saborosa, mas é mais calórica e deixando passar do ponto, fica excessivamente seca. Portanto, acabando o stock de massa folhada que anda no frigorífico, parece-me que vou passar a usar a opção massa quebrada mais vezes.


 


 



Ingredientes:



  • 1 molho espinafres frescos

  • 2 lombos de salmão cortados em cubos

  • azeite

  • 3 dentes de alho

  • sal

  • pimenta

  • massa quebrada

  • 1 gema ovo


 

Picar os dentes de alho e refogar com um fio de azeite.


Juntar os cubos de salmão, previamente temperados com sal e pimenta e deixar cozinhar.
Adicionar as folhas de espinafre cortadas em juliana (caso sejam grandes).
Colocar o preparado de salmão e espinafres no meio da massa quebrada, ligar as pontas como se fizesse um embrulho em torno do recheio. Pincelar com a gema de ovo batida.
Levar ao forno a 180º durante 25 minutos.

 

Uma refeição ligeira, muito saborosa... e uma solução prática para a marmita.

 

Nota: para quem apreciar queijo pode optar por acrescentar queijo ao recheio, ou envolvendo queijo no peixe e legumes, ou depois de espalhar o recheio em cima da massa, espalhar queijo por cima antes de fechar a massa. Cá por casa não somos muito fãs de queijo, pelo que raramente o uso.

Ideias daquelas dignas de plim

Esta história de agora me fazer acompanhar da marmita para o trabalho não implicou uma mudança do tipo de pratos que faço, uma vez que, antes de levar a marmita comigo, vinha a casa e a comida tinha de ser "a jeito" de fazer o prato, levar ao microondas e comer. Como no trabalho há um espaço snack devidamente equipado com microondas, não senti necessidade de alterar o tipo de pratos a fazer para adaptar à marmita. 


No entanto, surgiu-me um pequeno problema. Adoro salada. Alface, tomate, pepino, couve roxa, cebola, cenoura... com mais ou menos combinações, adoro salada e quando a refeição não tem legumes, a salada é presença obrigatória, mais ainda no tempo quente. O problema é como temperar a salada quando ela fica um par de horas na marmita. Levar já temperada de casa, nem pensar. Então como levar os temperos para temperar na hora?


Confesso que com a moda da marmita pensei que já houvesse uma espécie de galheteiros fechados, próprios para levar o tempero das saladas à parte na marmita. Mas não encontrei nada... Procurei algo que pudesse fazer a vez desse galheteiro xpto próprio para levar o tempero das saladas à parte na marmita... mas não encontrei nada.


Andava às voltas com isso quando bato com os olhos no meu carrinho-bar da sala. E o que vejo?!


 


 

 

Meia dúzia destas garrafinhas miniatura com uns licores exóticos que J* trouxe de casa da mãezinha aquando da mudança. 

Fez-se luz. Esvaziando uma garrafinha, lavar bem lavadinha et voilá, garrafinha fechada para levar temperos para salada à parte na marmita.

Vou ter com ele e pergunto se posso emborcar (não ia pôr fora o licor, né) uma daquelas garrafinhas que mais não servem para ganhar pó decorar e aproveitar a garrafinha para... já se sabe para quê.

Primeiro diz-me logo que sim, até posso despejá-las todas, mas beber não. A mãezinha, aquela jóia do outro mundo, aquando da mudança viu as garrafinhas da colecção do filho cheias de pó e enfiou-as na máquina de lavar louça. Portantos, a modos que o seu conteúdo provavelmente não estará nas melhores condições de consumo... ou pelo menos não vale a pena arriscar por 45ml de licor exótico.

Resumindo, perdem-se uns shots, ganham-se umas garrafinhas todas bonitas. E agora é só misturar sal, vinagre e azeite, agitar a garrafinha e temperar a salada.

Massada de peixe e atum com espinafres

Num dia em que a última coisa que apetece é perder muito tempo na cozinha e ter muito trabalho entre tachos e panelas, mas urge fazer um jantar em quantidade que fique para almoço (para dois) do dia seguinte, a solução passa por uma massa. Porque cá em casa temos uma costela italiana e adoramos massas, acaba por ser uma aposta segura em situações como esta. 


 



 


Ingredientes:


 


- 3 filetes de peixe gato riscado


- 2 latas de atum natural


- 500 gr de macarronete riscado


- 1 pacote de polpa de tomate


- 2 tomates maduros


- 1 molho de espinafres


- 1 cebola picada


- 3 dentes de alho


- 1 malagueta piripiri


- azeite


- 3 pézinhos de salsa


- 1 folha de louro


- sal e água


 


Levar uma panela ao lume com água temperada de sal, um fio de azeite, uma folha de louro e os pézinhos de salsa. Quando a água ferver, juntar os filetes de peixe gato e a massa. Deixar cozer até a massa ficar al dente, retirar os pés de salsa e a folha de louro, escorrer e reservar.


Num tacho largo alourar a cebola, os dentes de alho e a malagueta, tudo picado, num pouco de azeite. Juntar os espinafres, deixar murchar e acrescentar a polpa de tomate. Envolver bem. Juntar o atum escorrido, a massa misturada com os filetes e envolver delicadamente. Por fim misturar os tomates maduros (para salada) cortados em cubos.

Frango com vinho branco

 


 

Há semanas que consigo antecipadamente planear a ementa. Confesso que é uma maravilha olhar para o caderno, que reaproveitei para o efeito, e ver a "luz". Mas também confesso que nem sempre consigo pensar as refeições com tanta antecedência, e o máximo que consigo é um ou dois dias antes definir: amanhã bacalhau, depois frango. E vamos com sorte.

Ora esta semana bati com os olhos nesta receita da Colher de Pau e nem pestanejei. Frango seria o jantar do dia seguinte e estava escolhida a receita. Rabisquei numa folha de rascunho, e toda contente fiquei com aquela sensação de alívio, de problema resolvido. 

Escusado será dizer que alterei um pouco a dita, mas o essencial está cá, e daí os devidos créditos à receita e sua autora.

A minha versão foi assim:

 

Ingredientes:

 

- 1/2 frango cortado em pedaços pequenos

- sal

- 1 malagueta piripiri (em vez da pimenta)

- 4 dentes de alho

- 1 dedo de gengibre fresco 

- 1 folha de louro

- 1 colher de sopa (mais coisa menos coisa) de salsa picada

- 1 pacote de 250ml de vinho branco

- azeite a gosto

 

Num recipiente colocar os pedaços de frango e temperar com: sal, malagueta picada, os dentes de alho esmagados, o gengibre ralado, a folha de louro e ragar com o vinho branco. Deixar marinar um pouco (30 minutos, mais ou menos).

Num tacho aquecer um pouco de azeite, alourar os pedaços de frango escorridos da marinada. Quando estiverem douradinhos de todos os lados, juntar o liquído da marinada, envolver a salsa picada, reduzir o lume, tapar e deixar acabar de cozinhar em lume baixo.

 

Acompanhei com um arroz de alho e uma salada de alface. Bem bom!!! E sem complicações.

Batido de melão

 

Ingredientes:



  • 2 fatias de melão maduro

  • 1 iogurte natural

  • 4 a 6 bolachas maria

  • leite a gosto


Juntar os ingredientes num copo liquidificador. Triturar. 

Juntar açúcar para quem gosta de doce, aromatizar com canela quem gostar de um gostinho diferente.

Uma sugestão simples e saborosa para o pequeno-almoço ou lanche nesta altura de tempo quente em que o que sabe bem são estes pequenos prazeres fresquinhos e saciantes.

 

Pág. 2/2