Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Na Cozinha da Raiozinho

Na Cozinha da Raiozinho

Flã de leite



 

Mal vi esta receita não perdi tempo em experimentar. Tem tudo o que eu gosto num doce. Ultra simples de fazer, textura de pudim (adoro), doce sem ser em excesso, light na consciência.

 

Ingredientes:



  • 1 lata de leite condensado (magro)

  • a medida da lata com leite magro

  • 1 pacote de 200ml de natas

  • 4 ovos


Bater todos os ingredientes no liquidificador (ou batedeira). Verter para uma tarteira. Levar a forno quente a 180º cerca de 30 minutos.


 


{#emotions_dlg.drool}{#emotions_dlg.drool}{#emotions_dlg.drool}{#emotions_dlg.drool}{#emotions_dlg.drool}


 


(já estou a magicar numa próxima acrescentar um pouco de coco ralado... deve ficar um espanto)


 


Receita de pudim, a pedido da Woman

A Woman deixou-me um comentário a pedir-me uma receita das boas de pudim e qual a melhor forma para pudim.


Ora bem, vamos ver se consigo ajudar a Woman.


Quando comecei, já há muitos anos atrás, a aventurar-me na cozinha munida de receitas que recolhia de revistas e livros de culinária, experimentava tanto pratos de comida como sobremesas. E foi quando percebi que tinha pouca queda para a doçaria. No entanto, descobri meia dúzia de receitas para sobremesas que me calhavam bem, eram simples e não me deixavam nada mal, pelo contrário, fazia um brilharete como se fosse uma doceira de mão cheia. Nessa pequena lista de receitas está um pudim. O meu adorado pudim de leite condensado. E está na altura de o fazer novamente, ainda mais agora que o tempo mais quente começa a pedir sobremesas mais frescas e cremosas.


 


Pudim de leite condensado


 


Ingredientes:



  • 1 lata de leite condensado (costumo usar magro da marca Pingo Doce)

  • 6 dl de leite

  • 12 ovos

  • aroma de baunilha (opcional)


Bater o leite condensado, juntar os ovos um a um, batendo sempre. Por fim juntar o leite. Aromatizar com a baunilha. Passar o preparado por um passador e vertê-lo para uma forma previamente untada com caramelo líquido.

Levar ao forno, previamente aquecido a 180º, em banho-maria (convém que a água já esteja quente no forno) durante 1h e 15 minutos.

Importante: deixar arrefecer antes de desenformar. Digo isto por experiência própria de ser uma apressada e mal saía do forno desenfomava logo e, claro, partia-se todo.

 

 

Pode-se usar caramelo líquido de compra, eu prefiro fazê-lo. 

 

 

Para o caramelo:



  • 180 gr de açúcar (ou versão mais saudável e menos calórica, 90 gr de frutose)

  • 6 colheres de sopa de água

  • sumo de 1/2 limão


Juntar todos os ingredientes num tachinho e levar a lume forte até obter um preparado dourado. Retirar do calor, salpicar com água e levar novamente ao lume para ferver. Aplicar de imediato na forma a usar para o pudim, caso contrário corre o risco de secar no tacho e adeus caramelo e adeus tacho.


 

Quanto às formas. A minha mãe tinha uma forma de alumínio mesmo para pudim, com tampa e tudo. Confesso que o pudim ficava muito bonito, com aquele efeito canelado, mas a forma era um castigo para barrar com o caramelo líquido e depois para lavar, e a tampa acabava por nunca ser usada, porque mesmo pondo a tampa quando se levava o pudim ao forno, o pudim normalmente cresce muito (depois encolhe) e lá se tinha de tirar a tampa. Em minha casa ainda não fiz pudim, até porque só recentemente voltei a aventurar-me nas receitas doces. Mas tenho 3 formas, que acredito serem as essenciais: uma de buraco, uma de aro e uma rectangular. Todas são antiaderentes, fáceis para barrar, desenformar e lavar. De silicone só tenho a forma dos muffins, pelo que não sei dizer por experiência proópria se são melhores para pudim ou não. Da minha experiência, com muitos acidentes de percurso que serviram para eu aprender, no caso dos pudins mais importante que a forma é:



  • garantir que a forma está toda barrada com caramelo líquido, pois basta haver um bocadinho sem caramelo que provavelmente vai dar asneira a desenformar; 

  • desenformar o pudim frio, sempre; o ideal até será desligar o forno uns 5 a 10 minutos antes do tempo previsto e deixar o pudim lá dentro, sem abrir a porta do forno; é que o pudim cresce e depois abate, se sofrer um grande choque térmico pode ficar com aspecto de murcho e enrugado;

  • quando for para desenformar, colocar um prato na forma e com um movimento firme, seguro e rápido virar a forma ao contrário, isto para garantir que o pudim sai da forma por igual e não primeiro de um lado e depois do outro... caso contrário, vai partir. 


Espero ter ajudado... e com esta conversa fiquei cheia de saudades do meu pudim e quem sabe não o faço este fim-de-semana :) 

Por acaso já andei no meu dossier de sobremesas a dar uma vista de olhos nos doces de colher, pudins, semifrios, mousses, porque afinal já começa a saber bem uma sobremesa mais fresqinha.


 

Se houver alguém que queira deixar outras dicas e ideias à Woman, fique à vontade.